DIGA NÃO AOS ANABOLIZANTES

Os esteroides androgênicos anabólicos, também conhecidos como anabolizantes são hormônios sintéticos derivados da testosterona e por isso possuem potentes efeitos anabólicos sobre o sistema musculoesquelético, incluindo o aumento de massa magra, hipertrofia das fibras musculares e aumento da força muscular.
Para os atletas que necessitam de velocidade e força e indivíduos que desejam uma transformação muscular, os esteroides ilegais são atrativos, apesar do risco de efeitos colaterais.
Nos Estados Unidos, estimativas recentes indicam a existência de 3 milhões de usuários, sendo que 2,7% a 2,9% dos jovens adultos americanos usaram anabolizantes pelo menos uma vez em suas vidas. Outros estudos mostram que 4% a 6% dos estudantes do sexo masculino do Ensino Médio admitem ter usado anabolizantes em algum momento de suas vidas e que o uso por mulheres aumentou significativamente na última década.
Levantamentos realizados em academias de musculação revelam que a prevalência de uso destas drogas entre fisiculturistas é bastante alta, variando de 15% a 30%.
O consumo não terapêutico dos anabolizantes, que antes era restrito a atletas e fisiculturistas, popularizou-se entre indivíduos não atletas, inclusive adolescentes que passaram a utilizá-los para fins estéticos e, segundo pesquisas, dois terços dos usuários são praticantes de musculação em academias.
O principal motivo para o consumo dessas substâncias é a busca do corpo ideal, conforme padrão disseminado pela sociedade e o uso é motivado pela busca de resultados rápidos na obtenção do corpo desejado.
Uma pesquisa de minha autoria realizada em estudantes de uma renomada faculdade de Educação Física em São Paulo constatou que os homens consumiram mais drogas ilícitas do que as mulheres e os estimulantes e os anabolizantes foram as drogas mais citadas, com destaque para o clenbuterol e o durateston e o mais curioso é que todos aqueles pesquisados iniciaram o consumo após ingressar na faculdade, sugerindo que o curso de Educação Física pode estimular o consumo desse tipo de droga.
Anabolizante é droga ilícita e já é considerado um problema de saúde pública mundial, portanto há necessidade da realização de campanhas de prevenção direcionadas à população, com ênfase nas escolas e universidades.
As Faculdades de Educação Física, no entanto, merecem atenção especial, pois universitários desse curso serão futuros profissionais da saúde e desempenharão papel educacional importante dentro da população estudantil e geral.

ALGUNS EFEITOS COLATERAIS DOS ANABOLIZANTES:

1 – EFEITOS GERAIS:
– Acne severa: ocorre em 50% dos usuários;
– Desordens psiquiátricas, como distúrbios de personalidade,
depressão, mania, psicose, suicídio e aumento nos níveis de
irritabilidade e agressividade podendo causar dependência;
– Elevação do colesterol LDL e redução do HDL;
– Insuficiência renal;
– Crescimento excessivo da gengiva;
– Aumenta os fatores de risco para doenças cardiovasculares,
existindo relatos de casos de hipertensão, hipertrofia ventricular,
arritmia, trombose, infarto do miocárdio e morte súbita.
– A estrutura e função do fígado são alteradas podendo acarretar
hepatite, hiperplasia e tumores;
– Icterícia: pigmentação amarelada na pele;
– Aumento da resistência à insulina e desencadeamento da diabetes;
– Complicações decorrentes da aplicação de anabolizantes por via
parenteral como inflamações, fibroses musculares, infecções e
abscessos, além do risco de contrair HIV ou os vírus das hepatites
B e C.

2 – EFEITOS NOS HOMENS:
– Diminuição dos testículos;
– Redução da quantidade de esperma;
– Infertilidade;
– Calvície;
– Desenvolvimento de seios;
– Elevação no risco de câncer de próstata.

3 – EFEITOS NAS MULHERES:
– Crescimento de pelo facial;
– Calvície de padrão masculino;
– Alteração ou interrupção do ciclo menstrual;
– Crescimento do clitóris;
– A voz fica mais grave;
– Crescimento de pelos do corpo.

4 – EFEITOS NOS ADOLESCENTES:
– Crescimento interrompido (fusão prematura da epífise);
– Aceleração das mudanças da puberdade.

Texto: Profa. e Personal Trainer Paula Cavalcante
São Paulo

Referências:
1 – Evans N. Current Concepts in Anabolic-Androgenic Steroids, Am J Sports Med , vol. 32 no. 2 534-542, 2004
2 – Iriart J. A. B et al. Culto ao corpo e uso de anabolizantes entre praticantes de musculação, Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 25(4):773-782, abr, 2009
3 – Cavalcante P. A. M. Nível de atividade física e nível de consumo de álcool e drogas em universitários de Educação Física, EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Ano 15, n˚ 151, 2010.
http://www.efdeportes.com/efd151/consumo-de-alcool-e-drogas-em-universitarios.htm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s