Refrigerante: um vilão da saúde humana

O açúcar não é sozinho o responsável pelos casos de obesidade, das doenças cardiovasculares ou da diabetes, mas tem desempenhado um importante papel na pandemia de obesidade e o refrigerante tem sido o seu veículo mais popular.
Uma lata de 350 ml de refrigerante é igual a 10 colheres de chá de açúcar que corresponde a 150 calorias. Se um indivíduo beber apenas uma lata de refrigerante todos os dias e não reduzir as calorias em outro lugar poderá ganhar até 15 quilos a mais ao final de um ano.
Necessitamos de açúcar para viver, embora nos baste o açúcar encontrado naturalmente nas frutas, no leite, no mel, nos legumes e temperos.
A recomendação da American Heart Association para mulheres é o consumo de até 100 calorias de açúcar por dia, o que corresponde a pouco mais de 6 colheres de chá e, para os homens, o limite diário é de 150 calorias ou 10 colheres.
No Brasil, segundo dados da Vigitel 2011, oitenta e cinco por cento (85%) da população consomem versões não dietéticas desses produtos.Embora não haja consenso na literatura, há evidências de que o refrigerante dietético também seja danoso para a saúde.
A frequência do consumo regular de refrigerantes em adultos foi de 29,8% nas 27 cidades estudadas, sendo mais alta entre homens (34,3%) do que entre mulheres (25,9%). Nos dois sexos, o consumo regular de refrigerantes foi muito frequente na faixa etária entre 18 e 24 anos, tendendo a diminuir com a idade e com o nível de escolaridade.

Pesquisas de Harvard acompanharam 89.000 mulheres e 50.000 homens e descobriram que os refrigerantes podem aumentar o risco de câncer de pâncreas em mulheres. Outro estudo sugere que uma dieta líquida açucarada pode aumentar o risco de câncer do intestino grosso em homens.
As pessoas que consomem regularmente refrigerantes têm um risco 26% maior de desenvolver diabetes tipo 2 do que as pessoas que raramente consomem essas bebidas. Os riscos são ainda maiores em adultos jovens e os asiáticos.
Um estudo seguiu mais de 90.000 enfermeiras durante oito anos e as enfermeiras que disseram que consumiram uma ou mais porções diárias de refrigerante açucarado ou ponche de frutas tiveram quase duas vezes mais chances de desenvolver diabetes tipo 2 durante o estudo do que aquelas que raramente consumiram essas bebidas.

Um estudo que acompanhou 40.000 homens por duas décadas descobriu que aqueles que em média consumiram refrigerantes diariamente tinham um risco 20% maior de ter um ataque cardíaco do que os homens que raramente consumiram refrigerantes. Um estudo relacionado em mulheres encontrou uma ligação semelhante entre a doença e o refrigerante.
Há preocupação também com o impacto dos refrigerantes na formação dos ossos, pois esses produtos são comercializados livremente em escolas e ambientes frequentados por crianças e adolescentes e, muitos dessa população, acabam trocando o leite por refrigerantes. O leite fornece vitamina D, vitamina B6, vitamina B12 e outros micronutrientes além de ser uma boa fonte de proteína e cálcio, elemento químico extremamente importante na construção dos ossos.
Na procura de opções para beber, a água é, sem dúvida, a melhor escolha. É livre de calorias e muito fácil de encontrar.
Os refrigerantes carregados de açúcar são a pior escolha, pois eles fornecem muitas calorias e praticamente nenhum nutriente e, se consumidos rotineiramente, podem levar ao ganho de peso e aumento do risco de desenvolver diabetes tipo 2.
Outras bebidas têm prós e contras, mas se consumidas com moderação, podem caber em uma dieta saudável.
Café e chá: São livres de calorias, desde que não seja adicionado açúcar e creme. Eles são seguros para a maioria das pessoas e podem até ter alguns benefícios para a saúde.
Bebidas adoçadas artificialmente: Não têm calorias, mas os seus efeitos em longo prazo sobre o peso e a saúde são desconhecidos, por isso é melhor limitá-los.
Suco de frutas: Os sucos de frutas têm vitaminas, mas são ricos em calorias. Recomenda-se um copo pequeno por dia. O consumo de frutas deve ser estimulado sobretudo na forma in natura.
Leite: O leite desnatado, que é praticamente isento de gordura, é a melhor escolha. O leite com baixo teor de gordura (semidesnatado) é rico em calorias.
Para os adultos deve-se limitar o consumo de leite a um ou dois copos por dia. Quantidades menores são desejáveis, desde que o cálcio seja consumido de outras fontes de alimentos.
Álcool: Moderação é fundamental.

Texto: Profa. e Personal Trainer Paula Cavalcante
São Paulo

Referências:
1 – The Nutrition Source/Harvard School of Public Health
Links: http://www.hsph.harvard.edu e http://www.thenutritionsource.org
2 – Schulze MB, Manson JE, Ludwig DS, Colditz GA, Stampfer MJ, Willett WC, Hu FB. Sugar-sweetened beverages, weight gain, and incidence of type 2 diabetes in young and middle-aged women. Journal of the American Medical Association. 2004; 292:927-934.
3 – VIGITEL 2011

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s