Acúmulo de gordura no fígado e atividade física

esteatose e cirrose

Depois da pele, o fígado é o maior órgão do corpo humano e o centro metabólico do organismo, pesando aproximadamente 1,4 kg em um adulto médio.

É um órgão complexo e essencial na manutenção da vida, desempenhando numerosas funções vitais, dentre elas o armazenamento de glicose na forma de glicogênio e regulação do nível de glicose sanguínea circulante; sintetização de proteínas nobres; armazenamento de vitaminas e alguns minerais; produção de gorduras (lipogênese); desintoxicação e filtração do sangue.

O fígado pode ser afetado por um número significativo de doenças, mas destacaremos aqui a Esteatose hepática, principalmente a não alcoólica (NAFLD), pois a sua prevalência está crescendo em proporções epidêmicas, acompanhando o aumento da obesidade e da síndrome metabólica.

A Esteatose hepática é uma doença silenciosa, pelo menos na fase inicial e é caracterizada pelo acúmulo de gordura no fígado em consequência do consumo de álcool, mas também pode ocorrer em pessoas que não ingere álcool. A doença pode evoluir para cirrose e câncer de fígado.

O que define se a hepatite é alcoólica (ALD) ou não alcoólica (NAFLD) é o hábito de ingerir ou não bebida alcoólica, pois a lesão é semelhante nas duas formas da doença. O diagnóstico é de exclusão e a diferenciação entre ALD e NAFLD só é simples quando o paciente é abstêmio.

1 – ALD (alcoholic liver disease) – doença hepática alcoólica:

A ALD desenvolve-se em 90% das pessoas que bebem mais de 60g de álcool por dia, mas também pode ocorrer em pessoas que bebem menos, pois o fígado de cada indivíduo tem o seu próprio limite.

O consumo diário de mais de 40g de álcool aumenta o risco de progressão para fibrose e cirrose hepática em 37%.

A ALD pode ser completamente reversível com a abstinência por um período mínimo de seis semanas, porém, apesar da abstinência, 5% a 15% dos pacientes evoluem para fibrose e cirrose.

O tratamento básico para a ALD é o controle no consumo de álcool, que varia individualmente ou a abstinência.

2 – NAFLD (nonalcoholic fatty liver disease) – doença hepática não alcoólica.

A NAFLD não está relacionada ao consumo de álcool,  mas a fatores de risco para doenças metabólicas como a obesidade, resistência à insulina, diabetes mellitus e dislipidemia (triglicérides e colesterol alto).

A obesidade está presente em 50% a 90% dos pacientes e a doença é assintomática na grande maioria dos pacientes, no entanto, a fadiga e o desconforto no quadrante superior direito do abdome são as queixas mais habituais.

A biopsia hepática é o melhor método para o diagnóstico da NAFLD, no entanto, como o método é invasivo e com riscos, apenas uma minoria de pacientes com NAFLD são diagnosticados.

Não existe tratamento farmacológico específico, porém, a adoção de um estilo de vida saudável, alimentação adequada e atividades físicas regulares são medidas essenciais na prevenção e tratamento da NAFLD.

Recomendação de atividades físicas:

Para prevenir doenças crônicas e evitar ganho de peso significativo, o American College of Sports Medicine recomenda exercícios aeróbios de intensidade moderada em 5 (cinco) ou mais dias na semana com duração de 30 a 60 minutos por dia (150 minutos/semana) ou 3 (três) ou mais dias na semana de exercícios vigorosos ou a combinação de moderados e vigorosos, com duração de 20 a 60 minutos por dia (75 minutos/semana). Além disso, são recomendados exercícios resistidos, de flexibilidade e treinamento físico neuromotor, todos com frequência de 2 a 3 vezes por semana.

No entanto, para proporcionar a perda significativa de peso, a ACSM recomenda quantidades maiores, ou seja, entre 225 a 420 minutos/semana de exercício aeróbio moderado, resultando em perda de peso entre 5 a 7,5 kg, aliado aos exercícios resistidos.

Texto: Profa. e Personal Trainer Paula Cavalcante

Referências:

Alba LM, Lindor K. Review article: non-alcoholic fatty liver disease. Aliment Pharmacol Ther. 2003;17:977-86.

Angulo P. Non alcoholic fatty liver disease. N Engl J Med. 2002;346:1221-31.

Tominagata K, Kurata JH, Chen YK, Fuijimoto E, Miyagawa S, Kusano Y. Prevalence of fatty liver in Japanese children and relationship to obesity: an epidemiological ultrasonographic survey. Dig Dis Sci. 1995;40:2002-9.

Powell EE, Cooksley WG, Hanson R, Searle J, Halliday JW Powell PV. A história natural da esteato-hepatite não alcoólica: um estudo de acompanhamento de quarenta e dois pacientes por até 21 anos. Hepatologia 1990 ; 11 : 74 -80.

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. Quantity and Quality of Exercise for Developing and Maintaining Cardiorespiratory, Musculoskeletal, and Neuromotor Fitness in Apparently Healthy Adults: Guidance for Prescribing Exercise. Medicine & Science in Sports & Exercise, 2011;

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (ACSM) Statement on Exercise and Health 2009 – Med Science Sports Exercise, Fev, 2009.

Uma resposta em “Acúmulo de gordura no fígado e atividade física

  1. Oi Paula, bem legal a materia que voce publicou. Alias tu sabe que eu pago pau pra voce….rs…. pela pessoa e pela profissional que voce e. Desculpe… computador sem teclas de acentuacao. Bjs. Lucia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s